Literatura, História e Memória Literária
         
_________________________________________________________________________________________

 

A linha de pesquisa "Literatura, História e Memória Literária" tem por objetivo o estudo das relações entre Literatura e História, em suas diferentes possibilidades, como aquelas relativas a escrita de histórias da literatura e as referentes ao entrecruzamento dos discursos histórico e literário, no âmbito de diferentes gêneros, a partir de fundamentação teórica fornecida pela Teoria da Literatura e pela Teoria da História da Literatura.

 

Projetos vinculados

_________________________________________________________________________________________


ESTUDOS DE POÉTICA DA NARRATIVA E POESIA CONTEMPORÂNEAS NAS LITERATURAS DAS AMÉRICAS

Responsável: Profa. Dra. Aimée González Bolaños

A proposta científica e metodológica deste projeto faz parte de tendências atuais que indagam a natureza do texto literário em suas coordenadas histórico-literárias, estéticas, comunicativas e culturais, neste caso, prestando especial atenção aos processos transculturais. Responde, também, à necessidade de contribuir ao estudo integrado da literatura latino-americana. Portanto, o ponto de partida é uma problemática científica de significativa repercussão na história da literatura, na teoria e na crítica literárias. Objetivos principais do projeto são: integrar uma interpretação crítica mais orgânica e analítica da poesia e narrativa contemporâneas nas Américas, aprofundando os traços de identidade/alteridade; desenvolver as fontes teóricas, críticas e historiográficas para estudos de história da literatura, literaturas diaspóricas e migrantes, identidades culturais e poéticas transculturais, poéticas do trânsito e da viagem transcultural, escrituras do eu autoficcionais e releituras míticas da cultura originária e universal, abrindo possibilidades de análise, comparação e integração de textos poéticos e narrativos relevantes no domínio da cultura literária atual. Os resultados deverão favorecer a diversificação do desenho curricular do curso de Letras Português/Espanhol e a atividade científica e acadêmica do Mestrado e do Doutorado em História da Literatura.

 

A POESIA BRASILEIRA NO SÉCULO XXI

Responsável: Prof. Dr. Antônio Carlos Mousquer

O presente projeto busca, por meio de um trabalho teórico investigativo, a realização de um estudo da poesia brasileira da primeira década do século XXI. Através da análise e interpretação dessa produção, presente em "Antologia comentada da poesia brasileira do século XXI" e "Roteiro da poesia brasileira: anos 2000", pretende-se, amparado em obras que tratam da questão da lírica e da crítica, evidenciar o seu estilo e as suas peculiaridades.

 

JUANA MANUELA GORRITI: ANÁLISE E TRADUÇÃO

Responsável: Prof. Dr. Artur Emilio Alarcon Vaz

Este projeto de pesquisa científica pretende investigar, traduzir e divulgar a importância da argentina Juana Manuela Gorriti (1818-1892), que publicou romances e contos ao longo do século XIX. Apesar da importância da obra dessa autora em seu país natal, e mesmo em países de língua inglesa e francesa, não há traduções para a língua portuguesa e, consequentemente, a autora é pouco conhecida e citada em artigos e teses acadêmicas no Brasil.

 

A HISTORIOGRAFIA LITERÁRIA BRASILEIRA: FORMAS ALTERNATIVAS

Responsável: Prof. Dr. Carlos Alexandre Baumgarten

O projeto “A historiografia literária brasileira: formas alternativas”, encaminhado ao CNPq para ser desenvolvido a partir de março de 2012, dá continuidade ao projeto "A escrita da história da literatura brasileira hoje: novos caminhos e estratégias", ora em fase de conclusão. O presente projeto, situado no campo da pesquisa bibliográfica, objetiva realizar o estudo da historiografia literária brasileira que se manifesta nas antologias, organizadas sobretudo a partir dos anos 90 do século passado e a primeira década do século XXI, e também em formas alternativas, como as concebidas no âmbito da coleção "Como e por que ler", muitas delas situadas no âmbito da chamada ego-história. O projeto que será desenvolvido a partir dos pressupostos estabelecidos pela Teoria da História da Literatura, justifica-se pela possibilidade de desenvolvimento de estudo sobre material significativo para a compreensão do processo de escrita da história da literatura brasileira, complementando trabalho por nós realizado em investigação anterior. As antologias e as chamadas formas alternativas têm se caracterizado, de um lado, pelo abandono das antigas pretensões totalizadoras das histórias da literatura de feitio tradicional; e, por outro, pela opção por recortes de ordem pontual, em que explicitamente se manifesta a importância das escolhas subjetivas do historiador no exame e na organização do inventário de nossa produção literária.

 

A PRESENÇA DA "SOMBRA" NA LITERATURA INFANTIL E JUVENIL BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA

Responsável: Profa. Dra. Cláudia Mentz Martins

Esta pesquisa propõe a análise de obras brasileiras da literatura infantil e juvenil contemporânea, isto é, publicadas a partir de 1990, previamente selecionadas. O foco do trabalho centra-se na interpretação e discussão das imagens simbólicas presentes nos textos escolhidos relacionadas aos sentimentos, às situações, aos acontecimentos vinculados aos aspectos lúgubres, violentos e tristes da existência humana. Ou seja, a partir da imaginação simbólica proposta, sobretudo por Gilbert Durand e pelos teóricos que lhe servem de sustentáculo teórico, analisaremos o tratamento literário que a morte, o medo, a tristeza, a violência, por exemplo, recebem dos autores, quando esses se voltam ao público infantil e/ou juvenil e que tendem, na maior parte das vezes, a ajudar o leitor e/ou ouvinte a conhecer e/ou gerenciá-los quando se fazem presentes em sua vida. Deste modo, buscamos perceber como tais temas, a partir das imagens e símbolos associados à aparência sombria, interferem no desenvolvimento do pensamento e da linguagem de seus leitores, levando-os a desenvolver o intelecto como a imaginação e os auxilia na evolução de seu psiquismo.

 

LÍRICA PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA (1990-2010): PÓS-MODERNIDADE E IMAGINÁRIO EM DIÁLOGO

Responsável: Profa. Dra. Cláudia Mentz Martins

Este projeto de pesquisa realizará uma revisão da produção de poetas portugueses, selecionados por nós, cuja obra tenha sido publicada entre 1990 a 2010. A análise literária se efetuará a partir das teorias da pós-modernidade e do Imaginário, as quais promoverão um diálogo entre si e com as produções artísticas. Sob esse viés, buscar-se-á determinar a poética pós-moderna do período referido, no campo da literatura em específico, nas obras analisadas, usando-se, quando existente, a teoria poética dos poetas, bem como os recursos imagéticos recorrentes na lírica portuguesa contemporânea e o quanto essas imagens interferem, ou não, no estabelecimento do cânone literário.

 

REVISÃO DA POESIA BRASILEIRA DA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX PELAS TEORIAS DO IMAGINÁRIO

Responsável: Profa. Dra. Cláudia Mentz Martins

Revisão da produção de alguns poetas brasileiros, previamente selecionados, da primeira metade do século XX, a partir de uma análise literária pautada nas teorias do Imaginário, sobretudo naquela estabelecida por Gilbert Durand, realizando o diálogo entre elas e as obras poéticas do período. Sob esse viés, buscar-se-á determinar os recursos imagéticos recorrentes na tradição lírica em pauta e a importância dessas imagens no estabelecimento do cânone nacional. Serão analisados os seguintes poetas e respectivas obras: Gilka Machado, “Estados d’alma” (1917); Ronald de Carvalho, “Toda América” (1926); Manoel de Barros, “Poemas concebidos sem pecado” (1937); Joaquim Cardoso, “Poemas” (1947) e Walmir Ayala, “Face dispersa” (1955).

 

OLHARES IMPRESSOS A REPÚBLICA BRASILEIRA SOB O PRISMA DA IMPRENSA LUSITANA: REPERCUSSÕES E RUPTURA DIPLOMÁTICA (1889-1895)

Responsável: Prof. Dr. Francisco das Neves Alves

Os primeiros anos da formação da República Brasileira foram profundamente agitados por manifestações rebeldes contrárias ao modelo pelo qual se plasmava a nova forma de governo. A partir da derrocada de um desses movimentos, a Revolta da Armada, e a concessão de asilo aos revoltosos em naus portuguesas, se desencadearia um enfrentamento diplomático entre Brasil e Portugal do qual redundaria a ruptura entre ambos os países. Tal questão ocorreria num contexto mais amplo que refletia as novas diretrizes da política exterior do Brasil Republicano e a ascensão de segmentos nacionalistas e lusófobos. A partir dessa conjuntura, a presente pesquisa buscará analisar os reflexos da mudança na forma de governo brasileira junto ao jornalismo português, com ênfase ao estudo daquele rompimento diplomático sob o prisma da imprensa lusa.

 

A REPRESENTAÇÃO DO INTELECTUAL NA LITERATURA EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO E MULTICULTURALISMO: UTOPIA, COMPROMISSO E MARGINALIDADE

Responsável: Prof. Dr. José Luís Giovanoni Fornos

O objetivo do projeto é examinar as representações da personagem intelectual nas narrativas de ficção de língua portuguesa, levando em conta o processo de globalização capitalista atual. Igualmente visa à reflexão do papel dos intelectuais no campo da literatura, recorrendo às biografias dos escritores selecionados. A investigação do universo ficcional apoia-se nos estudos realizados por Julien Benda, Antonio Gramsci, Jean-Paul Sartre, Pierre Bourdieu, Michel Foucault, Edward Said, Homi Bhabha, Boaventura de Sousa Santos e Beatriz Sarlo, entre outros.

 

RELAÇÕES DE PRODUÇÃO EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO: UMA ABORDAGEM DO TRABALHO NOS TEXTOS DE FICÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA

Responsável: Prof. Dr. José Luís Giovanoni Fornos

O projeto pretende discutir a relação capital-trabalho em tempos de globalização, tomando como referência teórica a epistemologia marxista e sua repercussão nas literaturas de língua portuguesa.

 

AUTOFICÇÃO: RECORRÊNCIA E APLICAÇÃO DO GÊNERO EM NARRATIVAS FICCIONAIS BRASILEIRAS

Responsável: Profa. Dra. Kelley Baptista Duarte

As narrativas do eu têm sofrido múltiplas influências da mobilidade da vida contemporânea. O sujeito que se escreve e se inscreve na literatura, hoje, acaba por apropriar-se de espaços variados para expor sua vida e narrá-la de forma explícita ou camuflada, respeitando a verdade dos fatos ou alimentando-se do ficcional. Diante disso, surge a necessidade de encontrar denominações e nomenclaturas particulares às narrativas que expressam o sujeito que se (auto)biografa diferentemente. É nesse contexto de mescla discursiva e de mobilidade cultural, próprios da contemporaneidade, que surge a autoficção. Embora já se confirme a recorrência de produções autoficcionais brasileiras (em estudos isolados de dissertações e teses acadêmicas), a não utilização do termo para classificar obras da literatura nacional comprovam a resistência do olhar da crítica literária para um gênero que é, por essência, híbrido, móvel e próprio das manifestações da vida moderna. Nos rastros do surgimento do termo e das diferentes manifestação da autoficção na França e no Canadá, iniciados em tese de doutoramento (2007-2010), apresento, neste projeto, a necessidade de investigar a recorrência da autoficção na literatura brasileira, dando conta dos fatores sociais e culturais que motivaram a produção autoficcional em detrimento das formas clássicas da escrita íntima.

 

VOZES MARGINAIS NA LITERATURA BRASILEIRA DOS ANOS 60 AO PRESENTE

Responsável: Profa. Dra. Luciana Paiva Coronel

O projeto, de caráter bibliográfico, propõe o estudo das produções literárias identificadas com a voz marginal em diferentes tempos. O corpus básico da pesquisa é composto de obras dos anos 60, quando o teor marginal adquire importância na cultura e na literatura brasileiras, e se estende até o presente, quando esta feição sofre sensíveis alterações em termos sociais e estéticos. Pretende contribuir para o alargamento da compreensão da vida social brasileira, recorrendo a concepções teóricas afinadas com a discussão do lugar da cultura no cenário da massificação cultural contemporânea.

 

ARQUIVOS, FONTES PRIMÁRIAS E PERIÓDICOS

Responsável: Prof. Dr. Mauro Nicola Póvoas

O presente projeto congrega uma série de outras iniciativas, por mim empreendidas na FURG, em torno do estudo com revistas, jornais e almanaques. Nesse sentido, sob o nome geral de Arquivos, fontes primárias e periódicos, pretende-se abrigar os projetos de pesquisa que mantive ao longo dos últimos anos, bem como intenciona-se ampliar o corpus possível de análise, em torno da temática geral das fontes primárias. É um projeto que se insere nas áreas de Teoria da Literatura e História da Literatura, coadunando-se, portanto, com as linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Letras Mestrado em História da Literatura da FURG.

 

UM ESTUDO DE FONTES PRIMÁRIAS: A PRESENÇA DA LITERATURA BRASILEIRA EM PERIÓDICOS PORTUGUESES DO SÉCULO XIX (1850-1900)

Responsável: Prof. Dr. Mauro Nicola Póvoas

O projeto tem por objetivo estudar a presença de textos (romances, contos, crônicas, críticas, poemas, peças de teatro, notícias de interesse lítero-cultural) de autores brasileiros em fontes primárias jornais e revistas portugueses do século XIX. O estudo insere-se nas áreas de Teoria da Literatura e História da Literatura, e está vinculado ao projeto Histórias à prova do tempo: a relação Brasil-Portugal no campo da literatura Investigação, preservação e difusão de fontes, financiado pela CAPES, no Brasil, e pelo GRICES, em Portugal. Uma primeira etapa do projeto foi realizada na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa, por meio de um estágio pós-doutoral realizado junto à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com a orientação do Prof. Dr. Ernesto Rodrigues.

 

CAMINHOS E TRILHAS DO GÊNERO AUTOBIOGRÁFICO: UMA LITERATURA EM CONSTRUÇÃO

Responsável: Profa. Dra. Raquel Rolando Souza

O projeto tem por objetivo central o estudo dos procedimentos da escrita autobiográfica constantes da poética de Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira e Murilo Mendes.

 

GÊNERO LITERÁRIO E PERFORMANCE: AS NARRATIVAS INDÍGENAS E A LITERATURA CONTEMPORÂNEA NO BRASIL E NO CANADÁ

Responsável: Profa. Dra. Rubelise da Cunha

Este projeto propõe um estudo sobre os gêneros literários a partir do conceito de performance (John Frow, 2005 e 2007) e das narrativas indígenas. Tal proposta parte da necessidade de uma crítica literária a partir de uma concepção indígena (Lee Maracle, 2007), a qual coincide não apenas com o avanço dos Estudos Culturais, mas também com o que o crítico estadunidense John Frow denomina de crise na teoria dos gêneros, apontando para a necessidade de novas abordagens para o estudo dos gêneros literários. Serão analisadas as intersecções entre a narrativa histórica e a narrativa mítica, a narrativa escrita e a narrativa oral, a autobiografia e a história oral. A teorização sobre os gêneros literários será pautada na análise de obras literárias de temática e (ou) autoria indígena produzidas no Brasil e no Canadá na segunda metade do século XX e século XXI, a fim de contribuir para um comparativismo centrado na questão indígena e numa perspectiva literária interamericana.

 

 

O IMAGINÁRIO SIMBÓLICO DAS LENDAS URBANAS

AS REPRESENTAÇÕES DO MEDO NAS AMÉRICAS

Responsável:     Profª. Dra Sylvie Dion,

A expressão lendas urbanas vem do inglês Urban Legends e surgiu em torno dos anos 1970 entre os folcloristas americanos para designar anedotas da vida moderna, contadas como verdadeiras, mas que são falsas ou duvidosas. A lenda urbana, como a lenda tradicional, é uma narrativa exemplar, anônima, que possui uma mensagem implícita e uma moral escondida à qual nos ligamos. Ancorada na modernidade, baseada na crença e requerendo a cumplicidade de um ouvinte ou pelo menos de um destinatário, a lenda urbana nos revela situações surpreendentes, insólitas e muitas vezes incompreensíveis. A lenda urbana distingue-se da lenda tradicional por sua coincidência entre o tempo do narrador e o tempo da narração mais ela diferencia-se, sobretudo, pelo seu modo de difusão. Enquanto as lendas tradicionais eram transmitidas essencialmente pela oralidade e em uma área geograficamente limitada, as lendas urbanas, ao contrário, são transmitidas em escala mundial, pela internet, através das mensagens eletrônicas, das redes de bate-papo virtuais, das redes sociais. Elas destaquem-se também pelo seu conteúdo intimamente ligado o modo de vida urbana, as novas tecnologias, a insegurança coletiva. Recebe-se todo dia, por e-mail, alertas apoiados em uma história um pouco sórdida, prevenindo-nos dos numerosos perigos da vida moderna. Mas, o que nos revelam todas estas pequenas notícias imaginárias, estas urban belief tales? Quais são as angústias e os medos que elas veiculam? Contra que e contra quem elas nos alertam? Esse projeto de pesquisa tem como objetivo constituir um amplo repertório de lendas urbanas transmitidas na internet a fim de analisar essa pratica discursiva contemporânea e de identificar as representações do medo e das angústias a partir dos temas e assim tentar resgatar o universo simbólico.